Gerações em perigo

  • user warning: Table './comunidade/sessions' is marked as crashed and last (automatic?) repair failed query: SELECT COUNT(sid) AS count FROM sessions WHERE timestamp >= 1472149175 AND uid = 0 in /var/www/comunidadesegura.org/includes/database.mysql.inc on line 172.
  • user warning: Table './comunidade/sessions' is marked as crashed and last (automatic?) repair failed query: SELECT DISTINCT u.uid, u.name, s.timestamp FROM users u INNER JOIN sessions s ON u.uid = s.uid WHERE s.timestamp >= 1472149175 AND s.uid > 0 ORDER BY s.timestamp DESC in /var/www/comunidadesegura.org/includes/database.mysql.inc on line 172.

Grande parte das mais de 500 mil pessoas mortas por armas de fogo no mundo todos os anos são crianças, adolescentes e jovens vítimas do crime organizado, de confrontos de gangues ou de ações da polícia.

O crescimento de grupos armados organizados e o aumento progressivo do número de vítimas na faixa etária dos 15 aos 25 anos preocupam comunidades, especialistas e governos do mundo inteiro.

A maioria das crianças, adolescentes e jovens que engrossam as estatísticas de homicídios em cidades violentas são pobres ou membros de grupos socialmente excluídos, para quem as oportunidades de lazer, educação e emprego são escassas ou inexistentes.

A ação das autoridades muitas vezes se resume a repressão violenta e confinamento em instituições que não reeducam, sem dar atenção aos traumas psicológicos, sem envolver as famílias, sem reconhecer que são sujeitos de direitos.

Os principais desafios são equilibrar programas de prevenção e ações de repressão; resgatar e reintegrar os meninos e meninas envolvidos na criminalidade; evitar a banalização da violência e lutar pelos direitos humanos, especialmente pela garantia dos direitos básicos da criança e do adolescente.

Em 2005, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) divulgou comunicado dizendo que as políticas públicas e os programas de prevenção para jovens envolvidos com violência armada deveriam ser encarados “sob a perspectiva da segurança pública e não sob a ótica da repressão”.

Mais do que vítimas ou agressores, esses jovens são os principais atingidos por um contexto social, econômico e político que inclui preconceito de cor, raça e classe, falta de atenção e investimentos do poder público, desigualdade de oportunidades, entre outros fatores.

A expressão “Crianças e Jovens em Violência Armada Organizada”, cuja sigla em inglês é ‘COAV’, tem sido empregada nos últimos anos por especialistas de diversos países que buscam compreender melhor o fenômeno, além de apontar alternativas para resolvê-lo.

As soluções passam pela criação de políticas públicas de prevenção, que abordem tanto as causas quanto as conseqüências do problema; ações específicas para limitar a circulação de armas de fogo e projetos que estimulem uma cultura de paz.

Convidamos você a refletir sobre estas questões, participar e propor debates, colaborar com suas propostas e questionamentos, pois acreditamos que juntos podemos avançar tanto no plano das idéias quanto das ações, no caminho da construção de comunidades seguras.

Bibliografia básica